Novo Aplicativo Fronto para GANHAR DINHEIRO no Android. Baixe via Play Store. Quer começar o app Fronto com 1.250 pontos??? Segue Dica:
Vá em Configuração > Enter Referral Code > Digite o código "vemnimim". Daí é só partir pro abraço!!! Todos Ganham!!!

quinta-feira, 14 de junho de 2012

Aquário Temático de Kingyos


      Seguindo a linha de raciocínio para aquários biótopos, mais precisamente um temático, fiquei nesses últimos dias vislumbrando e pesquisando como seria um com Kingyos, para ir um pouco além daqueles aquários cheios de pedras e algumas poucas plantas, o que já não é comum de se ver.

      Sabemos que os Kingyos, são peixes originários da China, mas obtiveram sua grande ascensão no Japão, por isso também são conhecidos como Peixes Japonês.

      Pois bem, imaginei então, que tipo de lugar ele poderia habitar hoje na China, onde os números da poluição são alarmantes: cerca de 70% de seus rios e lagos estão poluídos e mais da metade das cidades tem problemas de abastecimento. Então acho difícil um peixe, mesmo que antepassado do Kingyo como a Carpa, possa hoje saudavelmente viver por lá. Então retornei ao passado, em pesquisas de textos que datam suas histórias do século II e III de 265 dC em diante.

      Durante os períodos a partir do século II, encontramos relatos de várias guerras e disputas territoriais por conta dos antigos imperadores e seus exércitos. No meio de todas essas batalhas, encontrava – se um dos rios mais conhecidos na China, o rio Yangtzé ou Rio Azul, o maior da Ásia,  percorrendo 6.300 quilômetros desde sua nascente, nos montes Kunlum (Qinghai e Tibete), até ao mar da China Oriental. O rio Yangtze flui através de uma grande variedade de ecossistemas e é habitat de vários animais ameaçadas de extinção, como o esturjão de Yangtze, e é lar de pelo menos três espécies criticamente ameaçadas: o jacaré chinês, o boto-do-índico e o golfinho do Yangtze. Além disso, nesse rio e até em outros, frequentemente eram construídos diques, a mando dos imperadores, para inundar áreas a serem dominadas ou para rompê – los após cheios, atingindo exércitos inimigos (imaginem o quão fortes deviam ser suas correntezas).

      Analisando alguns pontos, podemos perceber que esses rios tinham bastante fluxo de água, habitando neles, peixes com exigência grande quanto à oxigenação. Peixes esses, seriam as Carpas. Não como as coloridas que conhecemos hoje, mas as chamadas Carpa Húngara, Carpa Espelho e Carpa Capim. Essa última bem grande e que curiosamente é um peixe filtrador apesar de sua enorme boca e cabeça.

      As plantas para conseguir se firmarem nesses rios, deveriam ser bastante fortes, com caules e folhas grossas e raízes profundas, se desenvolvendo também por estolão. Talves o fundo tivesse muitas pedras de tamanho grande, pois não eram levadas pela correnteza, e serviam de ponto de fixação das plantas e esconderijo de pequenos peixes. As plantas Utilizadas nesse tipo de biótopo seriam: Vallisneria gigantea, Vesicularia dubyana, Microsorum pteropus, Anubia barteri “nana”, dentre outras. Na verdade, existe uma lista enorme de plantas para um biótopo Asiático, sendo necessária uma profunda pesquisa para que ele fosse realmente um biótopo, com peixes e plantas de um local específico. Mas ainda assim, a grosso modo, esse aquário ou lago poderia ser pelo menos chamado de temático.

      Enfim, levando em conta a origem e evolução da espécie Kingyo, e com um bocado de imaginação, seria próprio então dizer que um aquário de Kingyos com as características acima citadas seria um aquário biótopo (temático)? Porque não? Peixe de origem Chinesa e plantas em geral Asiáticas! Fica aqui uma idéia que pode ser desenvolvida no futuro, e desde já aceito opiniões e sugestões.

      Abaixo uma breve lista de plantas e sua origem para testar com os comilões de plantas:

.Barclaya longifolia (Burma, Tailandia, India, Sumatra, Nova Guiné)
.Blyxa aubertii (largamente distribuida por toda Ásia)

.Blyxa japonica (Índia, Japão, até Nova Guiné)

.Cardamine lirata (Russia, China e Japão)

.Ceratophyllum demersum (leste da Ásia)

.Ceratopteris cornuta (India, Burma, Indonésia)

.Eleocharis acicularis (toda Ásia)

.Eusterallis stellata (Japão, China, Taiwan, Malásia)

.Hottonia palustris (norte da Ásia)

.Hygrophila corymbosa (Sudeste da Ásia)

.Hygrophila difformis (ìndia, Burma, Tailandia, Malásia)

.Hygrophila polysperma (ìndia, Butão)

.Isoetes japonica (Japão)

.Limnophila aquatica (ìndia, SriLanka)

.Limnophila aromatica (sudeste asiático)

.Limnophila sessiliflora (da ìndia ao Japão)

.Lindernia parviflora (SriLanka, ìndia, Vietnam)

.Microsorum pteropus (por toda Ásia tropical)

.Myriophyllum tuberculatum (ìndia, Paquistão, Indonésia)

.Najas indica (Ásia tropical e Japão)

.Nuphar japonica (Japão)

.Nymphoides cristata (Taiwan)

.Riccia fluitans (cosmopolita)

.Rotala macrandra (Índia)

.Rotala rotundifolia (da Índia ao Japão)

.Rotala wallichii (China, da Índia até a Malásia)

.Rotala nanjenshan (Taiwan)

.Vallisneria americana (Leste e sudeste asiático)

.Vallisneria spiralis (Sudoeste Asiático)

.Vesicularia dubiana (Filipinas) 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

.